terça-feira, 23 de junho de 2015

A História do Virtual Boy - Consoles

Virtual Boy foi um console portátil lançado pela Nintendo em 1995. O console tem um visor monocromático que permite uma visão 3D dos jogos, os visor tem somente as cores vermelho e preto. Embora seja bem conhecido, ele é um dos projetos fracassados da Nintendo, e foi o ultimo projeto desenvolvido pelo aposentado designer da Nintendo, Gunpei Yokoi.
O Virtual Boy continha várias falhas que o fizeram ser um projeto falho logo no primeiro ano. Um dos motivos é que ele foi desenvolvido ás pressas pela mesma equipe de desenvolvedores do Nintendo 64, e foi um desenvolvimento caro. E algumas pessoas que jogaram tiveram problemas de tensão ocular depois de jogar por um tempo. O portátil também continha uma extensão EXT, que provavelmente serviria para jogar em multiplayer, mas o Virtual Boy nunca chegou a receber um suporte para o multiplayer, provavelmente por causa do seu curto período de vida e suas notas baixas nas reviews.

Informação
Imagem de Mario Tennis
A imagem do console era apenas em vermelho e preto ao invés de várias cores. O console tinha um adaptador AC vendido separadamente para carregar o Virtual Boy ao invés de inserir seis baterias AA que se gastavam em cerca de quatro horas. Apenas cerca de vinte jogos foram desenvolvidos para a plataforma, que foi descontinuada rapidamente, no início de 1996.

Os efeitos 3D são feitos com dois visores com telas lineares, cada tela é direcionada á um olho, onde os visores ficavam oscilando, fazendo o console emitir um zumbido. Se jogar por muito tempo ou usa-lo sem piscar ou fechar os olhos, ele pode causar traumas nos olhos (tanto que a Nintendo ja dava um aviso aos pais para não deixarem crianças menores de sete anos usar o console, pois ele poderia causar sérios problemas de visão). Por segurança, a Nintendo criou um sistema que pausava o jogo a cada 15 ou 30 minutos jogando, para que o jogador descansasse a vista.
Alguns críticos questionaram a Nintendo sobre as únicas cores do console serem vermelho e preto, a escolha foi funcional e monetária, e também para ajudar o consumidor, segundo a Nintendo, outras cores além dessas faria com que o console gastasse a bateria ainda mais rápido.
Controle
O controle do Virtual Boy é o único controle da Nintendo a possuir dois D-Pads, além deles, o controle tem quatro botões, o SELECT e START em cinza e os botões A e B em vermelho. Essa "caixa" on meio do controle é onde fica as baterias dele, fazendo com que ele tenha o formato de um "M".
Desenvolvimento
O Virtual Boy é conhecido como uma das piores falhas da Nintendo e como a ultima produção de Gunpei Yokoi na Nintendo. Yokoi ja trabalhava na Nintendo a anos, desenvolvendo brinquedos muito antes da Nintendo entrar no mercado de jogos. Embora esse projeto tenha sido uma grande falha, o sucesso da Nintendo se deve muito aos trabalhos de Yokoi, que desenvolveu o Game & Watch, o Game Boy, e diversos clássicos da Nintendo. Muitos fãs pensavam que ele tinha se demitido ou tinha sido mandado embora da Nintendo depois do fracasso do Virtual Boy, mas na verdade ele ja planejava se aposentar depois que o console fosse lançado.
Gunpei Yokoi também admitiu em 1994 que poucas empresas fora da Nintendo receberam as instruções necessárias para desenvolver jogos para o sistema. Como explicação, ele disse que o presidente da Nintendo na época, Hiroshi Yamauchi, tomou essa decisão para controlar a qualidade dos jogos lançados para o Virtual Boy. Gunpei disse "nós queríamos evitar o perigo e ter o maior controle possível da qualidade do que seria lançado para o Virtual Boy".
Vendas e recepção
O fim das produções não agradou em nada aos críticos e aos consumidores. A Nintendo também ficou extremamente desapontada com as vendas do sistema. Antes de ser descontinuado, o Virtual Boy vendeu somente 770,000 unidades pelo mundo (no Japão e na América do Norte). Gunpei Yokoi disse que a Nintendo esperava que três milhões de unidades tivessem sido vendidas somente no Japão.
A Nintendo da América talvez tenha se esforçado ainda mais que o Japão para tentar vender o console. Eles gastaram cerca de 25 milhões de dólares em marketing para o console, o que se mostrou um enorme desperdício de dinheiro, pois das 770,000 unidades vendidas, somente 140,000 delas foram compradas na América do Norte, nos Estados Unidos e Canadá. No Japão o desastre foi um pouco menos, vendendo 630,000 unidades no país. Devido ao seu fracasso, o Virtual Boy nunca foi lançado na Europa e Austrália.
A Nintendo da América disse que vendeu todas as unidades do console que eles possuíam, contudo, isso provavelmente foi porque as lojas encomendaram poucas unidades do console. Depois do segundo lote, a Nintendo provavelmente percebeu que o Virtual Boy não faria tanto sucesso que eles queriam, e cortaram o preço do sistema, fazendo com que ele fosse de 150 para 90 dólares.

Lista de jogos para o Virtual Boy:

  1. 3D Tetris, desenvolvido pela Nintendo
  2. Galactic Pinball, desenvolvido pela Nintendo
  3. Golf (no Japão, T&E Virtual Golf), desenvolvido pela Nintendo e T&E Soft.
  4. Innsmouth no Yakata, desenvolvido por I'm Max
  5. Jack Bros (no Japão, Jack Bros. no Airo de Hiihoo) desenvolvido pela Atlus
  6. Mario Clash, desenvolvido pela Nintendo
  7. Mario's Tennis, desenvolvido pela Nintendo
  8. Nester's Funky Bowling, desenvolvido pela Nintendo
  9. Panic Bomber (no Japão, Tobidase! Panibomb), desenvolvido pela Hudson
  10. Red Alarm, desenvolvido pela Nintendo e T&E Soft
  11. SD Gundam Dimension War desenvolvido pela Bandai
  12. Space Invaders: Virtual Collection, desenvolvido pela Taito Corporation
  13. Space Squase, desenvolvido pela Coconuts Japan
  14. Teleroboxer, desenvolvido pela Nintendo
  15. V-Tetris, desenvolvido pela Nintendo
  16. Vertical Force, desenvolvido pela Nintendo e Hudson
  17. Virtual Bowling, desenvolvido pela Athena
  18. Virtual Boy Warioland (no Japão, Virtual Boy Wario Land: Awazon no Hihou), desenvolvido pela Nintendo
  19. Virtual Fishing, desenvolvido pela Pack-In-Video
  20. Virtual Lab, desenvolvido pela J-Wing
  21. Virtual League Baseball (no Japão, Virtual Pro Yakyuu '95), desenvolvido pela Kemco
  22. Waterworld, desenvolvido pela Ocean
Gameplay de alguns desses jogos:
Veja Também:
A História do Super Nintendo.
A História do Dreamcast.
Se puder, por favor curta a página do blog.