quinta-feira, 18 de junho de 2015

A História do Dreamcast - Consoles

O Sega Dreamcast é o quinto e ultimo console lançado pela SEGA, sucessor do Sega Saturn. Esperando se recuperar no mercado de jogos, o Sega Dreamcast foi feito para superar a potência do Nintendo 64 e do PlayStation 1. Lançado em Novembro de 1998, um ano e meio do PlayStation 2 e três anos antes do Nintendo GameCube e do XBOX original, ele foi considerado um console avançado para seu tempo e inicialmente conseguiu recuperar a reputação da SEGA na indústria de jogos. Contudo, ele não conseguiu fazer mais sucesso quando o PlayStation 2 foi lançado em Março de 2000, e a SEGA decidiu parar as fabricações do Dreamcast no ano seguinte, sendo superado completamente pelo novo console da SONY.

História
Em 1997, o Sega Saturn estava sendo ultrapassado na América do Norte, e o presidente da Sega da América Bernie Stoler, começou a pressionar a Sega japonesa para lançar uma nova plataforma, que eventualmente foi o Dreamcast. Na E3 de 1997, Stolar falou publicamente de sua opinião sobre o Sega Saturn com o comentário "O Saturn não é o nosso futuro".
Quando foi anunciado que a SEGA abandonaria completamente o Saturn para dar atenção ao Dreamcast, muitas empresas de jogos japonesas se irritaram com a declaração, pois muitas delas estavam gastando dinheiro para publicar jogos que seriam lançados para o console abandonado.
Design
Quando veio a hora de criar um sucessor para o Sega Saturn, o novo presidente da SEGA, Shoichiro Irimajiri, tomou uma medida incomum de contratar um estrangeiro, Tatsuo Yamamoto da IBM Austin (uma grande empresa de softwares), para liderar o desenvolvimento do console. E logo ficou claro que o atual grupo de desenvolvedores de hardwares japonês liderado por  Hideki Sato não queriam dividir o departamento com uma nova empresa estrangeira, criando uma competição entre as duas equipes para criar um novo hardware mais potente.
O grupo japonês liderado por  Hideki Sato um processador Hitachi SH4 com um processador de gráficos PowerVR desenvolvido pela VideoLogic (atual Imagination Technologies) e manufaturado pela NEC. Ele foi chamado originalmente de "Faixa Branca" (White Belt). Os primeiros protótipos foram considerados fracos, mas os desenvolvimentos seguintes foram chamados de "Katana".
O outro grupo liderado por Tatsuo Yamamoto substituiu o Hitachi SH4 pelo processador de gráficos 3dfx Voodoo 2, que foi chamado originalmente de "Faixa Preta" (Black Belt). Os primeiros protótipos japoneses foram considerador fortes e no final foram chamados de "duradouros".
Quando o 3dfx é anunciado na Oferta Pública Inicial (também referido como IPO) em abril de 1997, foi revelado todo o contrato com a SEGA, que ainda mantinha o desenvolvimento do console em segredo, e ficou furiosa quando o 3dxf foi anunciado como o hardware do novo console da SEGA.
Em Julho de 1997, talvez por causa do anuncio do 3dxf, o hardware "Katana" japonês foi o escolhido para o Dreamcast. Em setembro de 1997, os desenvolvedores do 3dxf abriram um processo contra a SEGA e a NEC (e mais tarde contra a VideoLogic), começando uma "quebra de contratos", e acusando a SEGA de não cumprir os termos do contrato criado com a tecnologia do 3dxf, mas mais tarde eles cancelaram o processo.
Lançamento
Dreamcast foi lançado em 27 de novembro de 1998 no Japão, em 9 de setembro de 1999 na América do Norte (a data 9/9/99 ajudou nas vendas americanas) e em 14 de outubro de 1999 na Europa.
O Dreamcast foi o primeiro console a possuir um modem embutido e Internet para suporte online. Consoles anteriores como Genesis/Mega Drive e Saturn possuíam suporte online, mas eram considerados limitados e precisavam de um hardware externo para funcionarem bem.
Vídeo (em inglês) ter acesso online no Dreamcast:
Dreamcast teve um ótimo número de vendas em seu início, sendo um dos consoles mais bem sucedidos da SEGA. Somente nos Estados Unidos, ele teve cerca de 300,000 unidades vendidas em pré-venda, e 500,000 unidades vendidas nas primeiras duas semanas de lançamento (incluindo 225,000 nas primeiras 24 horas, o que se tornou um recorde nos videogames).
A SEGA disse que lucrou $98,4 milhões com as vendas até o lançamento do console em Setembro de 1999. Antes de seu lançamento nos Estados Unidos, a SEGA ja tinha tomado a medida de disponibilizar seu console em lojas de todo o país. Assim como o lançamento do PlayStation no país, a presença de grandes títulos como  Soul Calibur, Sonic Adventure, Power Stone, e Hydro Thunder ajudaram o Dreamcast a venderem ainda mais em seu primeiro ano.
Competição
Em abril de 1999, a SONY anunciou o PlayStation 2, que foi lançado em março de 2000 no Japão e em Outubro de 2000 nos Estados Unidos. Apesar de demorar cerca de um ano para seu lançamento, o anúncio da SONY desviou as atenções da SEGA. Com o lançamento antecipado no Japão, o console da SEGA foi praticamente ignorado no país, e apesar de possuir um bom número de vendas nos Estados Unidos, as vendas decaíram bastante quando o PS2 foi lançado.
As vendas do Dreamcast aumentaram em 156,5% entre julho e agosto de 1999, colocando a SEGA na frente da sua principal concorrente, Nintendo, durante aquele período. No mês de novembro de 2000, o Dreamcast ultrapassou o Nintendo 64 como o segundo console mais vendido na época. Durante essa época, o PlayStation 2 estava se espalhando pelo mundo, sendo vendido por até mesmo $1000 no eBay para terem acesso antecipado do console. Contudo, apesar do acesso online do Dreamcast com o SegaNet (o PlayStation 2 só teria acesso online em 2002), sua queda de preço (caindo para menos da metade do PS2) e a ajuda de vários grandes títulos, ele foi completamente ultrapassado pelas vendas do PlayStation 2.
Um fator que ajudou na facilidade da SONY para ultrapassar as vendas do Dreamcast foi a ja conhecida superioridade sobre a SEGA com o grande número de vendas do PlayStation 1 enquanto as vendas do Sega Saturn, Sega 32x e Sega CD diminuíam cada vez mais. Enquanto as vendas iniciais do Dreamcast cresciam, muitos compradores e desenvolvedores de jogos evitavam a SEGA, esperando pelo lançamento de novos consoles, provavelmente para ver quem iria prosperar. No início de 2001, muitos desenvolvedores abandonaram o Dreamcast para favorecer o PlayStation 2, e cancelaram muitos de seus projetos para o console (um dos projetos cancelados foi o lançamento de Half-Life para o console).
Uma das maiores vantagens do PS2 sobre o Dreamcast foi a capacidade de reprodução de jogos de PS1 para o console e o suporte para DVDs, e o PlayStation 2 era mais barato que um aparelho de DVD na época, esse único fator ajudou para aumentar ainda mais o número de vendas.
Em 2000, o anúncio da Microsoft do XBOX e o GameCube da Nintendo marcaram a "morte" oficial do Dreamcast, o que serviu para provar a falta de preparo da SEGA para o novo mercado de jogos.
Fim de Produção
Em 31 de janeiro de 2001, a SEGA anunciou que a produção de Dreamcast seria parada em 30 de março daquele ano, apesar de cerca de 50-60 títulos ainda estarem em produção para o console. O ultimo jogo lançado para o console na América do Norte foi NHL 2K2 (jogo de hockey), que foi lançado em fevereiro de 2002. Com o anúncio da empresa de não ter planos para lançar um novo console sucessor ao Dreamcast, esse foi o fim do mercado de consoles da SEGA. Quando a SEGA anunciou que o Dreamcast seria descontinuado, cerca de 10 milhões de consoles foram manufaturados, embora esse número pareça impressionante, um grande número de Dreamcasts ainda estavam parados nas prateleiras das lojas. Com o anúncio houve uma brusca queda de preço sobre o console, fazendo com que ele custasse cerca de 39 dólares.
Apesar do Dreamcast ser oficialmente abandonado no início de 2001, muitas empresas ainda tinham planos de lançamento para o console, principalmente no Japão, muitos consideram o aclamado jogo Ikaruga ser um dos maiores sucessos do console, mesmo lançado após seu abandono. Hackers conseguiram desbloquear jogos não lançados para o console, como Half-Life e Propeller Arena.
Em fevereiro de 2004, a SEGA anunciou seu ultimo jogo para o console, Puyo Pop Forever. Um pequeno número de empresas ainda lançavam seus jogos para Dreamcast, como Chaos Field, lançado em dezembro de 2004, Trizeal lançado em abril de 2005, Radilgy lançado em fevereiro de 2006, Under Defeat lançado em março de 2006, e os mais recentes, Last Hope, em janeiro de 2007, Trigger Heart Exelica em fevereiro de 2007 e Karous em março de 2007.
Apesar de seu curto período de vida, o Dreamcast ainda é muito popular entre os fãs principalmente devido ao seu grande número de jogos para o console. Ele até passou a ser considerado um console raro quando foi ficando cada vez mais difícil de encontra-lo. Na verdade, apesar da produção ter parado oficialmente, a SEGA ainda continuou produzido em pequeno número para agradar seus fãs e colecionadores.

Jogos
Em setembro de 2006, foi estabelecido um número de 730 jogos para o console, mas esse número continuou crescendo conforme mais jogos foram lançados no ano seguinte. Surgiu um rumor que uma versão remasterizada de Metal Gear Solid seria lançado para Dreamcast, mas foi desmentido pela Konami.
A Steam possui alguns jogos de Dreamcast em sua loja, você pode conferi-los aqui.

Se puder, por favor curta a página do blog aqui.