domingo, 4 de janeiro de 2015

A Agência (ICA) - Hitman

A International Contract Agency (ICA, mais conhecida como A Agência) é um conglomerado global de assassinos de aluguel profissionais, que estão disponíveis para pegar alvos em qualquer lugar do mundo.
História
O Agente 47 trabalha para a ICA, uma organização mundial de operações clandestinas, que é protegida por várias legiões pelo mundo, providenciando assassinos e serviço mercenário. Seus trabalhos ja atingiam as Américas, a Costa do Pacífico, e a Eurásia. A Agência possui vários aliados que escondem seu trabalho, como o FBI, CIA NSA, MI6, CSIS, e alguns elementos das Nações Unidas. Apesar de serem politicamente neutros e eticamente imorais, a Agência evita aceitar contratos contra pessoas do governo para evitar hostilidade com seus aliados. A maioria dos alvos do Agente 47 são criminosos internacionais.

A Agência oferece não só assassinatos, mas também informações sobre o suspeito. O preço inicial depende de acordo com a importância do alvo, sua quantidade de seguranças, e o assassino escolhido para mata-lo, com 47 sendo o mais caro por ser o mais habilidoso. A Agência trabalha para qualquer pessoa, desde organizações internacionais até indivíduos procurando vingança.
A Agência fornece "controladores" aos assassinos, como a Diana Burnwood, que mantém os assassinos informados de sua situação e mantém contato entre o assassino e a Agência. Os assassinos usam esses controladores para dar informações sobre a missão, como quantas pessoas foram mortas, em quanto tempo, e quando a missão acabou.
Apesar da Agência possuir centenas de assassinos profissionais, 47 é o mais valioso por causa de seu recorde de assassinatos em missão, apenas uma pessoa morta, e essa pessoa era seu alvo. Ele possui um arsenal inteiro ao seu dispor e é enviado ás missões mais difíceis, que para assassinos inferiores, seriam missões suicidas. 
Durante os eventos de Hitman: Blood Money, muitos agentes da ICA foram mortos por uma organização rival conhecida como "The Franchise", ao ponto de que Diana Burnwood dizer á 47 que eles foram os únicos que sobraram. Os últimos alvos do jogo é um agente corrupto da CIA chamado Anthony Martinez e uma vendedora de armas do mercado negro chamada Vaana Ketlyn, e Diana divide o dinheiro desses alvos entre ela e 47. Contudo, quando a Franchise é eliminada, Diana diz que todos os contatos voltaram á ativa.
Antes dos eventos de Hitman: Absolution, uma afiliada da ICA liderada por Benjamin Travis criou uma clone assassina sozinho, uma jovem garota chamada Victoria. Contudo, quando Diana descobre isso ela hackeia todas as contas da ICA, corta todas as comunicações, e faz a Agência ser conhecida publicamente. Ela então foge com Victoria e se esconde com ela. A ICA descobre a localização de Diana e manda 47 mata-la em uma mansão em Chicago. Contudo, quando 47 atira nela e não volta á Agência com Victoria, a ICA manda seus reforços atrás dele. Mais tarde, "As Santas" (uma equipe de assassinas profissionais vestidas de freiras) e dezenas de soldados da ICA atacam o hotel onde ele estava hospedado. É aí que 47 descobre a verdadeira natureza da Agência, quando um tiro de RPG atinge o hotel onde ele estava, matando vários hóspedes inocentes e executando todas as testemunhas, mas 47 consegue matar todas as assassinas das Santas e os soldados da ICA. A ultima aparição da Agência no jogo é na cripta da família Burnwood em Cornwall, Inglaterra. Travis usa esse lugar para atrair 47 e mata-lo, lá ele fica protegido por uma noca equipe, os Pretorianos. Mas 47 consegue eliminar os Pretorianos e matar Travis.
Organização
A Agência possui grandes contatos na CIA (pelo Agente Smith), FBI (apesar da Franchise ter roubado eles da ICA), MI5 e Interpol. Eles possuem uma aliança mais forte com as Nações Unidas depois que 47 evitou um ataque terrorista matando um alvo em 1996. O que resultou na Agência fazer uma exceção á sua regra de não matar antigos clientes quando 47 é enviado para eliminar Sergei Zavorotko por ele possuir Armas de Destruição em Massa. Antes disso 47 estava sob ordens estritas para não matar nenhum agente das Nações Unidas durante uma missão no Afeganistão. A Agência se recusou a fornecer informações sobre um de seus alvos ás Nações Unidas antes de ele ser executado, mostrando que a Agência não possui grandes laços com ninguém.
As letras D.K no símbolo da ICA, são de Denmark (Dinamarca), onde o principal escritório (ou quartel general) da Agência esta localizado.